Associação Brasileira de Horticultura | Domingo, 21 de Janeiro de 2018  
 
 
 
 



AÇÃO TÓXICA DE DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE EXTRATO DE TROPAEOLUM MAJUS L. EM RATAS PRENHEZ DA LINHAGEM HETEROGÊNICA WISTAR.
Autor: Toledo M.R.S.1; Aline F. R. Sereia2; Marcos H. D. Lima2; Flávia G. Sakai2 ; Vieira M. do C.3*; Heredia Z., N.A.3*; Bazzano T. da S.C.4 ; Vieira de Lima Z.5; Scalon S. de P.Q. 3. 1.MS Embriologia, UFMS, 2Acadêmicos de Biologia, UFMS; 3Professores UFMS, *Bolsistas de Produtividade Pesquisa CNPq. 4.MS em Bioterismo e Parasitologia, UFMS-CCBS; MS; 5Médica Nefrologista Clínica do Rim, Ponta Porã, MS.
Tipo: Trabalho
Tropaeolum majus L., Tropaeolaceae, conhecida na “medicina de folk” como capuchinha, flor-de-chagas ou nastúrio, é planta trepadeira procedente do Peru com folhas peltadas e flores vermelhas, alaranjadas e amarelas muito utilizada na ornamentação. Suas folhas, pétalas e sementes apresentam sabor picante devido à presença de enxofre. É empregada como anti-escorbútica, anti-séptica, tônica do sangue e dos órgãos digestivos, no tratamento de depressões nervosas, estafas, psoríase, eczema, escrofulose e na limpeza de pele e olhos. Seus frutos secos reduzidos a pó são utilizados como purgante eficaz. O objetivo deste trabalho foi avaliar a possível toxicidade da semente da capuchinha no período de prenhez de ratas (Rattus norvegicus, linhagem heterogênica Wistar). Foram administrados extratos aquosos das sementes frescas e secas de capuchinha na concentração 10% e 20% (p v-1), administrada por gavagem (1 mL.rata-1) do quinto ao nono dia de prenhez. Utilizaram-se quatro ratas para cada teste e quatro ratas como testemunhas; as testemunhas receberam água destilada e ração. Durante o tratamento observou-se epistaxe, apnéia e alopecia mais evidente na concentração a 20%. No décimo nono dia de prenhez, as ratas foram anestesiadas por inalação com éter e submetidas a laparotomia e histerectomia. Foram avaliados tamanho e peso de fígado, útero e ovários, além do peso corporal das ratas e contagem de corpos lúteos. Observou-se reabsorção em forma de cistos (comprovação de aborto) e alteração na cor da placenta (esbranquiçada) devido à falta de troca sangüínea mãe/feto. Os fetos apresentaram atraso no crescimento, hepatomegalia, pontos hemorrágicos em várias partes do corpo, ausência de rigidez axial (meningomielocele), pele viscosa e fina.Esses fatos indicam possível ação tóxica e abortiva das sementes frescas e secas de capuchinha.

   Veja o resumo expandido

Download do arquivo 44_716.pdf
   Download


Voltar para a página anterior
Associação Brasileira de Horticultura 1999-2012. Todos os direitos reservados.