Associação Brasileira de Horticultura | Quarta-feira, 17 de Janeiro de 2018  
 
 
 
 



PRODUÇÃO DE ALHO-SEMENTE DA CULTIVAR AMARANTE PROVENIENTE DE MATERIAL LIVRE DE VÍRUS EM PEQUENOS AGRICULTORES DA BAHIA
Autor: Werito Fernandes de Melo; Francisco Vilela Resende; André Nepomuceno Dusi
Tipo: Trabalho
A Embrapa Hortaliças iniciou os trabalhos com alho Amarante proveniente de material livre de vírus em Cristópolis-BA no ano de 2002, com a implantação de unidades demonstrativas. A partir do ano de 2003, iniciou-se a validação do sistema de produção própria de alho-semente de alta qualidade sanitária e fisiológica. O sistema no primeiro ano consiste do plantio de um pequeno telado antiafídeos com aproximadamente 18 m2 de área total (2.000 bulbilhos), mais 100 m2 de área fora do telado (9.000 bubilhos). No segundo ano o material colhido no telado é novamente plantado no telado e na área de 100 m2, e o material colhido na área de 100 m2 é plantado numa área de 1.000 m2 (63.000 bubilhos). No terceiro ano o material colhido no telado é novamente plantado no telado e na área de 100 m2, e o material colhido na área de 100 m2 é plantado numa área de 1.000 m2 e o material colhido na área de 1.000 m2 é plantado numa área de 10.000 m2 (400.000 bulbilhos). Ou seja, no terceiro ano é possível ter material de boa qualidade fitossanitária suficiente para plantio de 1 ha de lavoura comercial. Para validação do sistema foram utilizados bulbilhos-semente de alho da cultivar Amarante de identidade genética garantida, provenientes de multiplicações em condições fitossanitárias controladas. Neste trabalho foram avaliados os resultados alcançados nas unidades em 2004. O alho proveniente de material livre de vírus produziu de 74 a 520% a mais que os materiais utilizados pelos produtores. O peso médio de bulbo e a proporção de alho de maior valor comercial (tipo 4, 5 e 6) também aumentaram consideravelmente.

   Veja o resumo expandido

Download do arquivo 45_0563.pdf
   Download


Voltar para a página anterior
Associação Brasileira de Horticultura 1999-2012. Todos os direitos reservados.