Associação Brasileira de Horticultura | Quarta-feira, 17 de Janeiro de 2018  
 
 
 
 



CULTIVO DA ALFACE COM PROTEÇÃO DE AGROTÊXTIL EM DIFERENTES PERÍODOS
Autor: Marie Yamamoto Reghin; Maristella Dalla Pria; Rosana Fernandes Otto; Anderson Luiz Feltrim; Jhony van der Vinne
Tipo: Trabalho
O experimento foi conduzido em Ponta Grossa - PR, com o objetivo de testar períodos diferentes de proteção com agrotêxtil (polipropileno de 25 g.m-2) no cultivo da alface. O delineamento experimental foi o de blocos casualizados com 4 repetições, tendo os tratamentos seguido esquema fatorial 5x2. O agrotêxtil foi colocado após o transplante e retirado aos 10, 20, 30 e 38 dias; a testemunha foi mantida sem proteção durante todo o ciclo. As cultivares usadas foram Veneza Roxa e Maravilha das Quatro Estações. Adotou-se a análise de regressão polinomial para os dados de períodos. Entre cultivares, houve diferença significativa somente para a característica de número de folhas, onde "Maravilha das Quatro Estações" apresentou valor superior. Em relação aos períodos, as duas cultivares apresentaram respostas lineares nas características de altura e número de folhas. A medida que houve aumento do período de proteção, maiores foram os valores observados. No entanto, esta superioridade não resultou igualmente em aumento da produção para as duas cultivares. Somente a Veneza Roxa apresentou resposta positiva, com aumento linear na massa fresca e biomassa. Quanto maior foi o período de proteção (38 dias), maior foi o incremento observado, comprovando o benefício de manter o agrotêxtil no cultivo durante o ciclo todo.

   Veja o resumo expandido

Download do arquivo 42_037.pdf
   Download


Voltar para a página anterior
Associação Brasileira de Horticultura 1999-2012. Todos os direitos reservados.