Associação Brasileira de Horticultura | Quarta-feira, 17 de Janeiro de 2018  
 
 
 
 



CONSORCIAÇÃO DE ALFACE E RABANETE EM DIFERENTES ESPAÇAMENTOS E ÉPOCAS DE ESTABELECIMENTO DO CONSÓRCIO, NO INVERNO
Autor: Bráulio Luciano Alves Rezende; Gustavo Henrique Domingues Canato; Arthur Bernardes Cecílio Filho1
Tipo: Trabalho
Este trabalho foi conduzido na UNESP, Jaboticabal-SP, no período de junho a agosto de 2001, com objetivo de avaliar a produtividade das culturas da alface e do rabanete em função do espaçamento e da época de estabelecimento do consórcio. Foi utililizado D.B.C. com 4 repetições. Os 14 tratamentos constaram de combinações dos fatores espaçamento entre linhas para alface (0,30 e 0,40 m), sistemas de cultivo (consórcio e monocultivo) e época de semeadura do rabanete (0, 7 e 14 dias após o transplantio da alface). As cultivares de alface americana e rabanete foram, respectivamente, Tainá e Crimson Gigante. Maior produtividade de raízes comerciais de rabanete foi obtida em cultivo consorciado, aos 14 dias após o transplantio da alface. A massa fresca da alface internamente ao canteiro em monocultivo não diferiu da obtida quando o rabanete foi semeado conjuntamente ao transplantio da alface e para plantas de alface situadas nas laterais do canteiro semelhante à obtida em consórcio estabelecido com semeadura de rabanete até 7 dias após o transplantio.

   Veja o resumo expandido

Download do arquivo 42_041.pdf
   Download


Voltar para a página anterior
Associação Brasileira de Horticultura 1999-2012. Todos os direitos reservados.