Associação Brasileira de Horticultura | Sexta-feira, 19 de Janeiro de 2018  
 
 
 
 



DESENVOLVIMENTO DE MELOIDOGYNE JAVANICA EM DIFERENTES SISTEMAS DE PRODUÇÃO DE MUDAS DE ALFACE (LACTUCA SATIVA L.)
Autor: Guilhermina M. Severino; José M. Q. Luz; Maria Amelia dos Santos; Karina V. Marcuzzo; Jadir Borges Pinheiro
Tipo: Trabalho
A cultura da alface vem passando por expressivas mudanças nos sistemas de plantio e de produção de mudas. Os sistemas mais utilizados, atualmente, são: canteiro, bandeja e semeadura direta. Com o objetivo de se avaliar o desenvolvimento de Meloidogyne javanica em diferentes sistemas de produção de mudas de alface (Lactuca sativa L.), desenvolveu-se um experimento na Fazenda Experimental do Glória, da Universidade Federal de Uberlândia-UFU, no período de Fevereiro a Maio de 2001. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos casualizados em esquema fatorial 4x3x2, com 4 repetições, sendo os fatores: 4 cultivares (Lucy Brown, Aurélia, Vera e Elisa), 3 sistemas de produção de mudas (bandeja, canteiros e semeadura direta) e 2 áreas (maior e menor nível de infestação de Meloidogyne javanica). As cultivares Lucy Brown e Aurélia foram espaçadas de 30x30cm enquanto Vera e Elisa foram espaçadas de 25x25 cm. A parcela útil foi constituída por 6 plantas centrais. A colheita foi realizada aos 70 dias, para as cultivares Vera e Elisa, e aos 80 dias para Lucy Brown e Aurélia, avaliando-se as seguintes características: fator de reprodução de M. javanica, número de galhas e de massa de ovos. O sistema de produção de mudas em bandeja promoveu o maior desenvolvimento de Meloidogyne javanica. Todas as características nematológicas tiveram valores maiores em área com maior nível populacional.

   Veja o resumo expandido

Download do arquivo 42_044.pdf
   Download


Voltar para a página anterior
Associação Brasileira de Horticultura 1999-2012. Todos os direitos reservados.