Associação Brasileira de Horticultura | Quarta-feira, 17 de Janeiro de 2018  
 
 
 
 



EFEITO DA QUANTIDADE DE ÁGUA NO SUBSTRATO SOBRE O POTENCIAL FISIOLÓGICO DE SEMENTES DE CENOURA, PROVENIENTES DE DOIS SISTEMAS DE CULTIVO
Autor: Monalisa Alves Diniz da Silva; Edilma Pereira Gonçalves; Vinícius Borges dos Santos; José Magno Queiroz Luz; Ana Carolina Borges Sodré
Tipo: Trabalho
O início da germinação depende do processo de absorção de água. Uma maior uniformidade de distribuição da umidade no substrato, visando evitar variações nos resultados de germinação, pode ser obtida através de uma padronização da quantidade de água, em conformidade com a espécie em estudo. Objetivou-se com este trabalho avaliar o potencial fisiológico de sementes de cenoura, oriundas de dois sistemas de cultivo, sob diferentes quantidades de água no papel substrato. O delineamento experimental utilizado foi inteiramente casualizado, em esquema fatorial 2x4, ou seja, dois sistemas de cultivo (convencional e orgânico) e quatro quantidades de água no substrato (1,5; 2,0; 2,5 e 3,0 vezes o peso do papel substrato). Utilizou-se quatro repetições de 50 sementes para cada tratamento. Avaliaram-se as porcentagens de plântulas normais (testes de primeira contagem e germinação), número de plântulas anormais e de sementes apodrecidas, e o índice de velocidade de germinação. Houve interação significativa entre os tratamentos. Verificou-se que a utilização do volume de água de 1,5 vezes o peso do substrato papel reduziu a germinação das sementes convencionais e aumentou o número de plântulas anormais, de maneira significativa, em relação às outras quantidades de água utilizadas. As sementes de cenoura convencionais apresentaram uma melhor qualidade fisiológica em relação às orgânicas e foram menos sensíveis as diferentes quantidades de água utilizadas no substrato.

   Veja o resumo expandido

Download do arquivo 46_0800.pdf
   Download


Voltar para a página anterior
Associação Brasileira de Horticultura 1999-2012. Todos os direitos reservados.