Associação Brasileira de Horticultura | Quarta-feira, 17 de Janeiro de 2018  
 
 
 
 



Categoria:
ABH INFORMA » IAC Comemora 120 Anos

  
  
A Associação Brasileira de Horticultura (ABH) presta homenagem ao Instituto Agronômico (IAC) que comemorou, no dia 27 de junho passado, 120 anos de existência.

O Instituto Agronômico é a mais antiga instituição de pesquisa agrícola da América Latina. Nessas 12 décadas, suas contribuições mudaram o cenário da agricultura do Estado de São Paulo e celebra 120 anos como referência na pesquisa agrícola no Brasil e no mundo.

Fundado como Imperial Estação Experimental Agronômica de Campinas foi oficialmente inaugurado em 1887 por Dom Pedro II. A partir de então, se iniciaram as pesquisas com técnicas de cultivo e espécies alimentícias, fibrosas e ornamentais, cujos resultados são reconhecidos como um legado de formidável relevância para o desenvolvimento e progresso da agricultura subtropical e tropical.

As suas contribuições mais notáveis no âmbito do melhoramento genético incluem o feijão 'Carioca', que há 30 anos reina como o preferido pelo mercado brasileiro e é cultivado em inúmeros países. Na década de 1970, a ferrugem do café irrompeu como uma ameaça de poder devastador. A ameaça atingia a cafeicultura não só de São Paulo, mas de outros estados produtores como o Paraná e Minas Gerais, onde o café era considerado como um dos pilares da economia agrícola desses estados. Graças à competência da equipe do Dr. Alcides Carvalho, as pesquisas com a ferrugem do café, em pouco tempo mostraram a solução, com o lançamento de novas variedades resistentes à doença e que colocou o Brasil na vanguarda da pesquisa com essa rubiácea. São inúmeros os exemplos de cultivares de sucesso de algodão, cana-de-açúcar, cereais, citros e de outras frutas, flores e plantas ornamentais tropicais e subtropicais, e hortaliças.

As pesquisas em horticultura foram iniciadas em 1927, com a implantação da Seção de Horticultura. Na década seguinte, as pesquisas nessa área foram consolidadas com a criação da Seção de Olericultura e Floricultura (1938). A reforma administrativa de 1996 criou o Centro de Horticultura, transformado, em 2002 em Centro de Análise e Pesquisa Tecnológica do Agronegócio de Horticultura, que reuniu as pesquisas em hortaliças, raízes e tubérculos, plantas aromáticas e medicinais, flores e plantas ornamentais e plantas produtoras de palmito.

Pela reorganização institucional, o Centro de Análise e Pesquisa Tecnológica do Agronegócio da Horticultura passou a ser uma unidade multidisciplinar de pesquisa e desenvolvimento, com atuação de abrangência estadual, com objetivos de gerar e transferir conhecimento com base nas demandas das cadeias de produção da horticultura. O Centro atua como unidade coordenadora das ações de pesquisa e desenvolvimento da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento (SAA).

O Centro de Horticultura coordena as atividades de pesquisa da APTA e mantém forte relacionamento com as demais instituições dessa Agência, incluindo os 15 Pólos Regionais de Desenvolvimento Tecnológico dos Agronegócios. Para atender aos objetivos institucionais na área da Horticultura, o Centro conta com um corpo técnico de 23 pesquisadores e 15 funcionários de apoio.

Entre as conquistas tecnológicas da pesquisa em horticultura, no IAC, podem ser citadas o lançamento de 72 variedades de hortaliças, plantas bioativas, mandioca, batata e flores, com destaque para os tomates 'Ângela' e 'Santa Clara', as alfaces da série Brasil, o alho 'Lavínia', o brócolos 'Ramoso', o repolho 'IAC Sabaúna', os morangos 'Campinas' e 'Guarani', o quiabo 'Campinas 2', os pimentões da série Agronômico, as pimentas 'Agronômico 11' e 'Ubatuba', as mandiocas 'Branca de Santa Catarina', 'Mantiqueira', 'IAC 576-80' e 'IAC 14', as batatas 'Aracy' e 'Itararé', os antúrios 'Astral', 'Eidibel' e 'Cananéia', e a menta 'Campinas IAC-701'. Destacam-se, ainda, recomendações de cultivo para muitas das espécies pesquisadas nos sistemas convencional e protegido, pós-colheita de flores diversas e introdução e cultivo comercial de helicônias. Merece destaque também, a obtenção do palmiteiro híbrido a partir do cruzamento entre o açaizeiro e o palmiteiro juçara e início de melhoramento e geração de tecnologia para o cultivo do palmito pupunha.

A diretoria da Associação Brasileira de Horticultura (ABH), em nome de seus quase 1000 associados, presta essa justa homenagem ao IAC em reconhecimento às suas contribuições à pesquisa científica brasileira. Essa homenagem é dedicada em especial aos pesquisadores e servidores dessa instituição que, mesmo diante das adversidades enfrentadas nas últimas décadas, com espírito de abnegação e idealismo não desistiram de continuar buscando soluções para os desafios da agricultura do estado de São Paulo.

Clique na imagem abaixo para ver imagens do IAC




Paulo César Tavares de Melo
Presidente

Valéria Aparecida Modolo
Secretária

Sebastião Wilson Tivelli
Tesoureiro

Data de Publicação: 28/06/2007   Fonte: ABH

Indique para um amigo  Imprimir  Enviar comentário 

Voltar para a página anterior
Associação Brasileira de Horticultura 1999-2012. Todos os direitos reservados.